Post: 11385 | Data: 20/09/2017 | Visitas: 438

Ipirá: Prefeito pede licença do cargo e depois revoga oficio

Na última quarta-feira (13), foi protocolado na secretaria da Câmara de Vereadores de Ipirá, um ofício do prefeito Marcelo Brandão, comunicando o seu afastamento se sua função de chefe do Poder Executivo municipal no período de 05 a 16 de outubro, alegando motivos pessoais. No entanto, na manhã desta terça-feira (19), foi enviado à Câmara de Vereadores, outro ofício do gabinete do prefeito solicitando o cancelamento do ofício que tratava do pedido de licença do prefeito Marcelo Brandão.

 

A Lei Orgânica do Município de Ipirá no seu Artigo 89 diz o seguinte:

 

O Artigo 89 da Lei Orgânica do Município de Ipirá diz que o Prefeito e o Vice-Prefeito, quando no exercício do cargo, não poderão, sem licença da Câmara Municipal, ausentar-se do Município por período superior a 15 (Quinze) dias, sob pena de perda de mandato, salvo: (Redação dada pela Emenda nº 001, de 08 de maio de 2014).

I – Em caso de doença devidamente comprovada;

II – Gozo de férias;

III – A serviço ou em missão de representação do Município.

 

§ 1º. O Prefeito regularmente licenciado terá direito a receber a remuneração, quando:

I – Impossibilidade de exercer o cargo, por motivo de doença, devidamente comprovada;

II – A serviço ou em missão de representação do Município, devendo no prazo de 15 (quinze) dias, contados do final do serviço ou da missão, enviar a Câmara Municipal relatório circunstanciado dos resultados da sua viagem;

III – Em gozo de férias.

 

§ 2º. O Prefeito gozará de férias anuais de 30(Trinta) dias, sem prejuízo dos salários, ficando a seu critério a época, para usufruir do descanso, devendo comunicar a Câmara a data do seu início.

 

Após o plenário da Câmara tomar conhecimento da revogação do ofício por parte do Poder Executivo Municipal, o vereador Deteval Brandão, solicitou ao presidente da Câmara vereador Divanilson Mascarenhas, que lhe fosse fornecida cópias dos ofícios tanto de pedido de licença, quanto o que revogou ofício anterior, para que o vereador pudesse publicar nas redes sociais.

 

Até o presente momento não se sabe o porquê do pedido de licença, até porque o ofício não continha outra alegação a não ser por motivos pessoais. Assim como, as razões que motivaram a revogação do ofício de licença do prefeito.

www.caboronganoticias.com.br
Por: Jorge Luiz

Seja o primeiro a comentar esta postagem!


Nome:

Comentário:

Design: Catu Informática | Ediomário Catureba

Rua Joel Campos, 125 - Alto de Guinho - Baixa Grande - BA

E-mail: ediomario@baixagrande.net - Tel: 74 99962 3779


utilizadores online