Post: 11786 | Data: 27/11/2017 | Visitas: 847

Família de Baixa Grande acusa advogado de agressão dentro de condomínio em Feira de Santana; ele nega

Uma família acusa um advogado de agredir o pai da moradora de um condomínio com socos e pontapés, depois de uma discussão, na cidade de Feira de Santana, a cerca de 100 quilômetros de Salvador. A vítima fraturou a perna e teve que fazer uma cirurgia.

 

O caso ocorreu no final da tarde de sábado (25). O advogado foi deixar a namorada em casa, de carro, e, segundo os moradores, saiu do condomínio em uma velocidade acima da permitida no condomínio, de 10 km por hora.

Clique Aqui ASSISTA A REPORTAGEM EM VÍDEO DIRETO DO G1 Bahia

Um grupo de moradores teria alertado a garota sobre os riscos de dirigir naquela velocidade no local, o que gerou discussão. O advogado então teria voltado ao local, a pedido da namorada e, conforme os relatos, agredido o pai de uma moradora.

 

Segundo a polícia, o suposto agressor afirmou que voltou para o condomínio depois que a namorada ligou para dizer que foi agredida por uma moradora e pela mãe dela. Ele diz ainda que, quando voltou, foi agredido pelo pai, pela mãe e pela moradora. O advogado disse ainda que o pai da moradora teria caído e por isso teria fraturado a perna.

 

Um vídeo mostra a agonia da família para socorrer o pai da moradora, Marcos Antonio Silva, de 54 anos. Segundo familiares, ele deve passar por nova cirurgia em oito dias.

 

 

A filha de Marcos, Bruna Suzart, diz que foi agredida ao defender o pai. Ela tem fotos que mostram marcas vermelhas no peito e no braço. “Parece que eu via meu pai morrendo naquela situação. Eu quis tirar ele da situação e puxei ele pela camisa. Foi onde (o advogado) me agrediu com vários murros e arranhões, junto com a namorada dele, que é moradora do condomínio”, afirma Bruna.

 

“O dia-a-dia meu e da minha família vai ter que mudar por conta de um cidadão que agiu desse jeito. Só quero que a justiça seja feita”, afirma a mãe de Bruna, Raquel Suzart.

 

O delegado titular da 2ª Delegacia Territorial (DT), Fabrício Linard, informou que será instaurado um inquérito policial para apurar o ocorrido.

 

 

Os moradores do condomínio ficaram preocupados com o caso. “Poderia ter sido com um pai meu ou algum parente. Da forma que ele saiu com o veículo, poderia ter atropelado o filho de alguém ou até minha filha, minha esposa e a mim”, diz o morador Thiago Almeida.

 

A administração do condomínio vai abrir um processo administrativo e apurar o que aconteceu. A namorada do advogado é inquilina de um dos apartamentos. “Se entender que (ela) não deva fazer parte do condomínio, vai acionar o proprietário para que rescinda o contrato”, diz o advogado do condomínio, Alexandre Nascimento.

https://g1.globo.com
Por: G1 Bahia

Seja o primeiro a comentar esta postagem!


Nome:

Comentário:

Design: Catu Informática | Ediomário Catureba

Rua Joel Campos, 125 - Alto de Guinho - Baixa Grande - BA

E-mail: ediomario@baixagrande.net - Tel: 74 99962 3779


utilizadores online