Território Bacia do Jacuípe realiza a 2ª Conferência Territorial da Juventude

Postado em: 10/10/2011 | Por: Ediomário Catureba

Desde o dia 21 de setembro que teve inicio a segunda etapa da 2ª Conferência Estadual da Juventude da Bahia, dos 26 territórios, 16 já realizaram, e neste final de semana foi à vez do nosso território, o evento foi realizado em Ipirá com a presença de jovens, que foram eleitos como delgados nas conferências municipais. O evento foi realizado no CETEP (Centro Territorial de Educação Profissional), com o tema DESENVOLVER O BRASIL E A BAHIA. GARANTIR OS DIREITOS DOS JOVENS, Jovens de todas as idades do Território da Bacia do Jacuípe se reuniu neste domingo (09), em Ipirá, para discutir políticas públicas para a juventude.
Após a fala dos representantes à mesa, os jovens foram divididos em plenária de grupos de Trabalho, por eixo e diretrizes do Plano Estadual de Juventude e montaram suas propostas:

Grupo de Trabalho 1 – Emancipação e autonomia juvenil – Educação
• Garantir e apoiar a participação juvenil na elaboração de política pública na área da educação;
     
• Interiorizar a Universidade Pública com curso e metodologia voltada as diversas localidade na agricultura familiar, facilitando o acesso aos jovens rurais a estas Instituições;

• Ampliar o número de matricula de jovens na educação profissional nos níveis de aprendizagem técnica, promovendo maior integração entre os mesmo;

• Inserir conteúdos curriculares que valorize a consciência participativa, politica e cidadã dos jovens, tais como: Educação para Comunicação, Meio Ambiente, Cultura Brasileiro, Direito Humano e Identidade;

• Inserir temas relativos ao consumo de álcool, drogas, DST, síndrome de imunodeficiência, e planejamento familiar nos conteúdos curriculares dos Ensinos Fundamental e Médio.

FORMA DE ACOMPANHAMENTO – Criar um Grupo de Trabalho da Juventude no território, criar o site da juventude no território, criar o Fórum territorial da juventude com etapa municipal.

Grupo de Trabalho 2 – Emancipação Trabalho, emprego e renda.
• Garantir e apoiar a participação juvenil na elaboração de políticas públicas na área de emprego e renda;

• Incentivar a organização de cooperativas como fonte geradora de renda, através de programas de formação em associativismo e cooperativismo;

• Fomentar a formação profissional de jovens da zona rural, com gestão participativa de forma a possibilitar a organização de produção do campo, na perspectiva do desenvolver sustentável e do acesso à cultura;

• Desburocratizar o acesso aos micros crédito para jovens, mediante aos créditos ao plano de negócio;

• Reprimir a prática do turismo sexual, notavelmente evitando criança e adolescente.
FORMA DE ACOMPANHAMENTO – criação do Conselho Municipal da Juventude, criação do Conselho Territorial da Juventude, produção de informativo mensal especifico para tratar das ações da juventude no território.

Grupo de trabalho 3 – Bem-estar juvenil – Saúde e vida segura
• Enfatizar o trabalho em conjunto com escola e com família para prevenção da maioria dos agraves na saúde dos jovens;

• Ampliar programa de saúde reprodutiva e prevenção da gravidez precoce;

• Promover a qualificação dos profissionais de Saúde, numa perspectiva dos profissionais para lhe dar com o uso e abuso no uso de substâncias, entorpecentes e drogas;

• Desenvolver projeto que valorize a cultura local e da comunidade;

• Apoiar a criação, expansão e fortalecimento de Centro de Permanente especializado em Tratamento para dependente Químico e de pessoas vivendo com HIV (AIDS);

Grupo de Trabalho 4 – Bem-estar juvenil – desporte, lazer e meio ambiente
• Garantir e apoio a participação juvenil na elaboração da política pública na área do desporte, lazer e meio ambiente, ecologicamente equilibrado;

• Criar mecanismo que vise implementação da Lei de incentivo fiscal para o esporte com critério que evite a centralização de recursos em determinada regiões;

• Instituir novas modalidades de praticas desportivas nas escolas como: basquete, vôlei, handebol, lutas, danças, natação e recreação;

• Elaborar programa para esportes não convencionais como: patins, skates, rapel, motobike e ciclismo;

• Estimular a criação de áreas de lazer nas praças públicas que possibilita a realização de gincanas promovidas pelos próprios moradores da comunidade;

• Apoiar as inciativas e programa que intensifique a relações sócias ambientais e proporcione a melhor qualidade de vida a todos os jovens num ambiente natural, ecologicamente equilibrado e socialmente sadio.




Grupo de trabalho 5 – Desenvolvimento da Cidadania e organismo juvenil – política e participação. Engajamento e Organização juvenil

• Disponibilizar espaço gratuitamente nos meios de comunicação e aproveitar os já existentes as politicas públicas e direitas dos jovens onde poderão expressar as suas ideias;
• Valorizar e construir uma cultura de paz, com toda sociedade de forma a superar qualquer preconceito/discriminação educando a sociedade como o todo;
• Estimular a criação de conselhos municipais da juventude por modo construtivo onde os mesmo serão eleitos em fórum específico de juventude;
• Garantir a participação juvenil na elaboração e acompanhamento nas políticas públicas estadual, promovendo seminários, fóruns e debates, contemplando as diversidades juvenis;
• Estimular a criação de Entidades e representação Estudantil e disponibilização de espaço para a sua sede;


Grupo de trabalho 6 – Apoio à criatividade juvenil – produção cultural e acesso aos bens da cultura; desenvolvimento tecnológico e comunicação.

• Incentivar projetos culturais que compreenda os programas de formação de plateia e criação de espaço público para exposição cultural dos jovens, possibilitando a inclusão social de todos os seguimentos juvenil neste projeto;

• Universalizar o acesso a inclusão digital, instalando computadores nas escolas públicos do Ensino Fundamental, Médio e superior, conectando a rede mundial de computadores, com uso e qualificação de ferramentas computacional livre e colaborativa;

• Promover a formação técnica com soft livres, fomentando a cultura cooperativista integrante à economia solidária na produção de bens tecnológicos;

• Aderir o debate com setores do Governo Estadual, sobre as possibilidades de implementação projeto, nos meios de comunicações das escolas públicas, todos como referencia a elementos teóricos e metodológicos já existentes no Brasil;

• Programar uma política eficiente e tecnologia articulada com projeto que valorizem os jovens criativos.




Grupo de trabalho 7 – Do reconhecimento, à diversidade – negro e negra.

• Garantir e apoiar a participação de jovens negros na elaboração de políticas públicas;
• Oferecer cursos profissionalizantes que permite o desenvolvimento nas comunidades quilombolas nas áreas de saúde e meio ambiente;

• Desenvolver ações intercessoras de combate ao extermino da juventude;

• Melhorar a qualidade de vida dos jovens das comunidades tradicionais, facilitando o acesso às novas tecnologias e o acesso as festa para o desenvolvimento de suas comunidades;

• Ampliar a opção de qualificação profissional e desenvolvimento humano, participação politica, combate a violência de pessoas da cidadania e da identidade negra, principalmente em ambiente de aglomeração urbana;

FORMA DE ACOMPANHAMENTO – Criar os conselhos municipais da juventude, criar os conselhos territoriais da juventude, criar uma rede social, entre os jovens do território para melhorar a comunicação e a troca de experiência.



Grupo de trabalho 8 – Do reconhecimento à diversidade – LGBT

• Prover apoio psicológico, médico e social aos jovens em virtude de sua orientação sexual e a sua família em termo de apoio;

• Estimular a criação de departamento especializado nas delegacias já existente em criem de homofobia;

• Apoiar a iniciativa que tramite na Assembleia Legislativa bem como no Congresso Nacional que dispõem de direito as LGBT;

• Incluir os conteúdos relacionados à população LGBT na formação dos profissionais de saúde e nível técnicos, da graduação, bem como garantir o tema nos processos de educação permanente em serviços do SUS;

• Apoiar e divulgar a produção de materiais educativos sobre a orientação sexuais e identidade de gêneros para a superação da homofobia.

FORMA DE ACOMPANHAMENTO – Criação do Conselho Municipal da Juventude e a Criação do Conselho Territorial da Juventude,



Grupo de trabalho 9 – Do reconhecimento à diversidade – mulheres, jovens em conflito com a lei; e jovens com deficiência.

• Apoiar a divulgação e implementação da Lei Maria da Penha e da notificação compulsória;

• Promover o acesso e o controle das mulheres sobre a renda e os métodos de produção de bens e serviços respectivamente;

• Ampliar e fortalecer ações e programas para adolescente e jovens que seja cumprido pena socioeducativa ou em sistema prisional;

• Intermediar as relações com a sociedade civil de politicas setoriais, durante fórum e ventos, de medidas socioeducativas por pena;

• Fomentar a implantação de assistência médica especializada para jovens deficiente, visando a promoção e desenvolvimento de suas capacitação, a identificação precoce e a intervenção adequada para minimizar e prevenir as deficiência posteriores;

FORMA DE ACOMPANHAMENTO – Divulgar em parceria com a SECTI, mantendo um portal dos programas da juventude, com acesso nos CDCs, divulgações nas redes sociais, e nos portais do território a exemplos do www.baciadojacuipe.com.br, em rádios, jornais e revistas locais, instituir conselho municipais da juventude, distribuir informações através de E-mail, divulgações nas escolas Municipais e Estaduais através de cartilhas, cartaz, entre outros.




Grupo de trabalho 10 – Do reconhecimento à diversidade – indígena e rural

• Disseminar programas de qualificação e formação profissional na área rural;

• Investis em infraestrutura e tecnologia nas escolas rurais, com intuito de diminuir o êxito rural;

• Proporcionar o acesso aos cursos de Educação a Distância;

• Valorizar agricultura familiar;

• Promover a criação e ampliação de escolas familiares rurais e casa de famílias rurais, nas áreas de assentamentos e nas comunidades tradicionais.


Após a apresentação das propostas, foi aleito o representante que irá representar o território na conferência Nacional, ficando com Clécio da cidade de Pé de Serra

www.baciadojacuipe.com.br
Postagem nº: 2069 | Visitas: 651


PUBLICIDADE



Portal Bacia do Jacuípe - Uma Iniciativa da Catú Informática

Ediomário Catureba - Whatsapp 74 99962-3779

ediomario@baixagrande.net - Baixa Grande - BA


utilizadores online